Perguntas sobre a linhaça

Perguntas sobre a linhaça

Conceição Trucom*

Parte 1

Quais as principais características da Linhaça e sua indicação?
Além de sua riqueza em ômega-3 (um agente antiinflamatório e regenerador celular) e ácidos graxos monoinsaturados (caloria de queima rápida), ela também é rica em fibras, como as ligninas (precursoras de fito hormônios) e as mucilagens que tratam mucosas e auxiliam na desintoxicação, principalmente de metais pesados.

O óleo oferece o mesmo benefício que a semente? Por que?
Não. Quando separamos o óleo dos demais componentes da semente perdemos a sinergia da sua composição integral.
O óleo isolado, um forte antiinflamatório, só é indicado sob orientação médica, para casos quando a necessidade de ômega-3 é bem acima da quantidade máxima de consumo/dia desta semente.
O óleo isolado também é bastante indicado para tratamentos externos como de pele, articulações e couro cabeludo. No meu livro O poder de cura da Linhaça - editora Alaúde - ensino a preparar domesticamente este óleo, receitas culinárias e várias receitas para massagem corporal.

Existe a linhaça marrom e a linhaça dourada ou existe alguma outra variedade? Quais as diferenças entre elas?
Como todo vegetal, existem muitas variedades de uma mesma família. Entre a linhaça marrom e a dourada podem existir muitos tons, mas a diferença entre elas é muito pequena quando falamos de teor de ômega-3, que é o quesito onde elas foram mais analisadas e comparadas. As condições de cultivo e a variedade podem alterar a quantidade de pigmento da casca, porém internamente a semente costuma apresentar composições muito próximas. Quanto a enaltecida linhaça dourada (importada do Canadá e com crescente produção brasileira) trata-se de mais uma armadilha do capitalismo selvagem. A linhaça marrom (brasileira) é mais rica em ômega-3 e muito mais barata. Desde 2010, com a crescente produção da linhaça dourada nacional, seus preços estão ficando mais próximos.

Qual a maneira mais saudável de consumir a linhaça?
Jamais compre ou consuma a linhaça pré-moída pois certamente estará em algum grau oxidada. Quanto mais oxidada maior a chance de forte flatulência, enxaqueca e diarréia.
O ideal é consumi-la crua, integral e triturada na hora do seu consumo.
Mais interessante ainda é deixá-la de molho em água filtrada por um mínimo de 4 horas (ideal 8 horas) antes de seu consumo. A este processo dá-se o nome de hidratação, acordar ou pré-germinação da semente. A água deste molho – rica em mucilagens - deve ser consumida junto pois é ideal para tratar/prevenir problemas de digestão, úlceras e constipação. Também para sequestrar metais pesados, em geral acumulados no cérebro. Saiba mais sobre germinação em Receitas Cruas.

Existe limite de consumo diário?
Para adultos o consumo máximo é de 2 a 4 colheres de sopa/dia.
Para crianças até 12 anos é de 1 a 2 colheres de sobremesa/dia.
Sementes são alimentos de energia concentrada, jamais devem ser consumidos em quantidade, pois não há absoluta necessidade.

E mais: por que este limite?
Todo vegetal, principalmente as sementes, contêm substâncias de defesa para preservarem a integridade da semente até sua germinação. Tais substâncias são chamadas de antinutricionais e são nocivas quando existir exagero no consumo. Trata-se do mágico da natureza, onde bom-senso é SEMPRE bem vindo.
Um recurso de minimizar a presença destas substâncias é o processo de hidratação e germinação.
Por este motivo não se deve consumir qualquer semente em excesso, principalmente se não for previamente germinada, seja castanha do Pará, gergelim, amendoim ou linhaça.

A linhaça também é indicada para quem deseja emagrecer? Por que?
Sim, pois ela possui um forte efeito laxante e desintoxicante, que ajuda o organismo a se aliviar de seu venenos, toxinas e excessos como é o caso da gordura (em excesso é claro).
Além disso, sementes como a da linhaça, após seu consumo liberam uma ordem para o cérebro para produzir um hormônio chamado colecistocinina que provoca sensações de saciedade.
Todo este processo se viabiliza se a linhaça estiver crua, idealmente pré-germinada e bem triturada (no ato do seu consumo - JAMAIS pré-triturada) o que  leva cerca de 30 minutos para acontecer.

Qual a forma correta de consumir a linhaças ?
No preparo de sucos desintoxicantes tomados em jejum e 30 minutos antes das refeições principais. Também no preparo de iogurtes, sorvetes, cremes de leite e docinhos de festa sem açúcar.

Quais segredos/receitas caseiras são simples de preparar com a linhaça?
A primeira delas é deixar as sementes inteiras de molho por toda a noite: 1 colher (sopa) de semente em 1/2 copo de água filtrada. Pela manhã bater (juntamente com a água do molho), no preparo dos sucos desintoxicantes, com frutas, folhas, raízes e limão. Consuma a linhaça crua/germinada somente com alimentos crus. Se misturada com cozidos certamente desencadeará gases.

Parte 2

Existe uma comercialização crescente de farinha de linhaça e até uma divulgação pela internet sobre os benefícios da FARINHA DA LINHAÇA. As pessoas me escrevem desorientadas pois, em geral,  acessaram informações de que a linhaça deve ser consumida inteira, outras fontes afirmam que precisa ser previamente torrada, e outras que a melhor forma de comsumi-la é triturada.

Qual informação seguir?

A linhaça é uma semente, a semente do linho. Como todas as sementes, ela contém substâncias de proteção contra ataque de fungos, carunchos e bactérias, de tal forma a preservar o seu destino: germinar e virar uma planta. Estas substâncias são tóxicas (para os bichinhos e para nós humanos) e são chamadas de antinutricionais ou alérgenos. Principalmente se o consumo daquela semente é exagerado.

Primeira resposta: o consumo diário seguro de semente de linhaça é de 1 colher de sopa (adultos) e 1 colher de sobremesa (crianças). Lembrando que todas as sementes oleaginosas (girassol, gergelim, castanha-do-Pará, castanha de caju, semente de abóbora, etc.) têm aproximadamente esta mesma medida de segurança.

Porém as sementes são alimentos riquíssimos em nutrientes essenciais como sais minerais, vitaminas, proteínas vegetais, gorduras nutricionais, enzimas e fibras. Elas são consideradas alimentos bio-gênicos, ou seja, que geram vida, pois contêm, naquele seu pequeno espaço, todas as informações genéticas e nutricionais para gerarem um novo ser, uma nova planta. Elas são tão fortes que não precisamos, como exposto acima, ingerir muito: não é uma questão de quantitativa, mas qualitativa.

Segunda resposta: para evitar os antinutricionais ou alérgenos das sementes, basta deixá-las que germinem. Porque durante a germinação, a semente entende que chegou a hora de se transformar: se-mente -> germinado -> planta. Neste momento (da germinação), todas aquelas substâncias que cumpriam a função de defesa e preservação da integridade da semente se transformam em agentes de propulsão e crescimento. O germinado costuma conter doses elevadas de enzimas, vitaminas e substâncias vitalizantes, ativadoras de vida. Por este motivo, sempre que se for consumir sementes, elas devem estar cruas e previamente germinadas: 8 horas de molho em água filtrada (umidade) durante a noite (escurinho), que é uma simulação do solo. Desta forma, o aproveitamento de todo o material biológico e energético deste tipo de alimento será maximizado.

Sendo assim, se qualquer semente ou alimento for cozido no fogo, acima de 42 graus Celsius por 5 minutos ou mais, todas as enzimas, vitaminas termodegradáveis e as informações genéticas de propulsão da vida serão destruídas. Restam somente alguns nutrientes, mas a qualidade biogênica foi degradada irreversivelmente. Experimente germinar uma semente após seu cozimento, fritura ou torra.

Terceira resposta: quando o consumo for com propósito terapêutico e curativo as sementes devem ser consumidas cruas e idealmente pré-germinadas. Como diz a professora Selene do Rio de Janeiro "dormidas" na água.

Toda semente é rica em proteínas e gorduras nutricionais. Aliás, sê-mente, nos lembra que esta composição é muito semelhante a das células cerebrais: as lipo-proteínas. Esta fração gordurosa das sementes, em geral, é poliinsaturada, como a famosa família dos ômega-3. Ácido graxo poliinsaturado significa, entre outras questões do mundo da química, que é FACILMENTE OXIDADO (estragado, rançado, envelhecido, intragável, causador de quadros alérgicos, enxaquecas, vômitos, além dos famosos problemas de "tubulação": os cardiovasculares).

A linhaça é campeã no teor de ômega-3. É o alimento do reino vegetal mais concentrado neste nutracêutico. Quem impede que todo este teor elevado de polinsaturados da linhaça (e demais sementes) seja oxidado é sua casca. Ou seja, triturou? Oxidou!!!

Quarta resposta: triturou a linhaça? Tem que ingeri-la o mais rápido possível. Porque se não consumir imediatamente, a farinha obtida irá se oxidar rapidamente e não servirá para consumo humano. Deverá ser jogada fora. Desta maneira, o correto é comprar a linhaça crua, fresca e inteira e ir germinando e triturando no dia-a-dia, conforme o tamanho do consumo da pessoa ou família.

O que acontece? Na produção do óleo de linhaça, que tem elevado valor terapêutico e comercial, sobra uma borra de fibra e proteína com baixo teor de gordura. Tal sub-produto é seco e comercializado como farinha de linhaça. Ou seja, além de estar oxidada, tem contaminantes do processo industrial e é um alimento esvaziado da sua integralidade, da sua alquimia de ser biogênico, nutracêutico, terapêutico e curativo. 

Quinta resposta: não existe diferença nutricional significativa entre linhaça marrom e dourada. Em termos de ômega-3 a marrom leva vantagem. O mais importante é que seja fresca, bem conservada e que haja um consumo diário, jamais esporádico.

Sexta resposta: se o seu médico recomendou tomar cápsulas de óleo de linhaça como suplemento de ômega-3, significa que quadros inflamatórios estão frequentes, certo? Mas as cápsulas são "suplementos". Quem é completa e possui a alquimia natural de um alimento biogênico é a semente na íntegra. Ou seja, além das cápsulas, siga com a recomendação diária da semente "dormida" em água, como indicado na primeira resposta acima.

Saiba mais com a leitura na íntegra do livro O poder de cura da Linhaça - Conceição Trucom - editora Alaúde. O fato da linhaça ser um alimento natural não elimina a necessidade de seu consumo com consciência e responsabilidade.


 

Lojas Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossas lojas parceiras. Clique e adquira já.

 


* Conceição Trucom
 é química, pesquisadora, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida. Possui 10 livros publicados, entre eles O Poder de Cura do Limão (Editora Alaúde), com meio milhão de cópias vendidas, Mente e Cérebro Poderosos (Pensamento-Cultrix) e Alimentação Desintoxicante (Editora Alaúde).

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citadas a autora e a fonte: www.docelimao.com.br

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Siga-nos no Facebook

Comentários e perguntas

 Caro leitor,

Ficou com alguma dúvida sobre este artigo? A área de comentários e perguntas é exclusiva para assinantes Doce Limão. Por apenas R$ 20 mensais, você terá acesso a todo conteúdo exclusivo, como palestras, cursos online e muito mais, além de poder enviar perguntas, que serão respondidas pela Conceição Trucom e equipe.

 

Saiba mais e assine