A Soja na saúde humana II

O Câncer e a Soja

Segundo o Instituto Nacional do Câncer dos EUA, um terço das mortes por câncer está ligada a uma dieta inadequada. A alimentação ideal para reduzir o risco de câncer deve ter mais fibras, frutas e vegetais e menos gordura e proteína animal.

Conforme já visto anteriormente, a soja e a maioria dos seus derivados, costumam conter proteína de qualidade ímpar, baixo teor de açúcar, óleo nutricional, fibra em qualidade e proporção adequada, além de uma vasta gama de outros nutrientes importantes.

Estudos indicam que alimentos à base de soja integral ajudam na prevenção contra vários tipos de câncer, como os do pulmão, do colo do útero, dos intestinos, do estômago e da próstata.

Mulheres que consomem regularmente a farinha integral de soja (kinako) apresentam 54% menos chance de desenvolver câncer de útero.

As isoflavonas da soja, classificadas como fitoestrógenos, são apontadas como os principais compostos presentes na soja capazes de prevenir o aparecimento de vários tipos de câncer. Estes fitoestrógenos são encontrados em quantidades significativas na soja e derivados integrais como o kinako.

Importante ressaltar que a ingestão da farinha integral de soja é muito mais efetiva e econômica do que as onerosas cápsulas isoladas e concentradas de isoflavona. Isto porque a isoflavona apresenta sua melhor performance quando integrada a sua proteína e todos os demais componentes da soja.

Apesar das muitas evidências, a comunidade científica ainda não conseguiu estabelecer com total clareza quais os mecanismos fisiológicos de atuação e ação preventiva que apresentam os compostos da soja. Uma das formas de atuação destes isoflavonóides pode ser a inibição do crescimento e disseminação de muitos tipos de células tumorais.

Todo estrógeno precisa se ligar a um receptor para poder funcionar. É como um sistema chave-fechadura. A chave é o estrogênio e o receptor, ou seja, a fechadura é uma estrutura formada por proteínas (o DNA), que estão presentes em algumas células de órgãos como próstata, útero, ovário e mama, e que são sensíveis para receber a chave (o estrogênio). Porém, se essa chave for muito "forte", que é o caso dos hormônios estrogênicos sintéticos, ela pode danificar a fechadura, ou seja, o DNA que representa o relógio controlador do correto crescimento e multiplicação celular.

Os fitoestrógenos da soja, que apresentam ação estrogênica moderada, desempenham a função de se encaixarem rapidamente nos receptores estrogênicos, bloqueando-os, ou seja, impedindo o acesso dos estrógenos fortes, mas tendo pouco efeito sobre o DNA e o crescimento das células da mama, próstata e outras.

Além das isoflavonas, outras substâncias, também presentes nos grãos da soja, auxiliam na prevenção e controle de alguns tipos de câncer. Dentre esses compostos estão as fibras, os oligossacarídeos, os inibidores de proteases (IT) e as saponinas.

A eficácia da soja na prevenção e tratamento do câncer irá depender do tipo e local onde ele se manifesta, do agente causal e da fase de desenvolvimento da doença. Assim, é legítimo que ocorram variações na eficácia da resposta ao tratamento alimentar.

De qualquer forma, antes que se instale uma doença crônica, a prevenção, com a ingestão diária adequada da soja e seus derivados, é o melhor tratamento.

TABELA - Comparando incidência câncer de próstata e de mama entre países com diferentes hábitos alimentares (por 100.000 habitantes)

País Câncer de Próstata Câncer de Mama
China 1,8 19,1
Japão 6,7 19,7
Índia 8,2 20,8
Finlândia 34,2 44,7
Suécia 45,9 60,7
Basiléia - Suíça 50,1 72,1
EUA 53,4 87,0

O Câncer de mama e a Soja

Atualmente tem-se estudado em todo o mundo a ação da proteína da soja sobre a prevenção do câncer de mama, já que as asiáticas, por terem o hábito cultural de consumirem soja e derivados diariamente, têm uma chance bem menor de adquirir tal câncer em relação às mulheres ocidentais.

Níveis mais baixos de estrogênio geralmente estão associados com melhor saúde da mama da mulher. Numerosos estudos têm demonstrado que a mulher que ingere produtos da soja com freqüência apresentam níveis mais baixos de estrogênio no sangue, e isto pode estar associado com uma proteção induzida pela funcionalidade da soja contra o risco do câncer de mama. A principal hipótese que explica tal fenômeno é a presença das isoflavonas da soja, que bloqueiam os efeitos maléficos do estrogênio.

As isoflavonas da soja também apresentam propriedades de reduzir a formação de novos vasos sanguíneos que é uma condição para que os tumores cresçam e se espalhem. Com a soja evitando a neo-formação destes vasos, o câncer não terá nem oxigênio nem suprimento nutritivo adequado para seu pleno desenvolvimento.

O Câncer de próstata e a Soja

Estudos feitos por pesquisadores do Centro de Câncer Davis, da Universidade da Califórnia, EUA, demonstraram que a genisteína, um isoflavonóide da soja, desacelera o crescimento do câncer de próstata em camundongos e faz com que as células cancerosas morram.

Os pesquisadores acreditam que a preponderância da soja na dieta asiática possa ser uma razão para que os homens asiáticos tenham uma taxa de câncer de próstata menor do que os homens americanos.

Foram identificados os mecanismos pelos quais a genisteína atua no câncer de próstata e as descobertas são consistentes com outros estudos que envolvem a soja. Entretanto, apesar dos resultados encorajadores, testes com a genisteína em pacientes com câncer ainda são necessários para comprovar sua efetividade em humanos.

O Câncer de cólon e a Soja

Como já demonstrado anteriormente, a soja e alguns dos seus derivados, é muito rica em fibras solúveis, insolúveis e oligossacarídeos. Tais compostos - prébióticos - são muito benéficos ao pleno funcionamento dos intestinos, conferindo fortalecimento da flora intestinal, maior volume e fluidez fecal, como também menor tempo de trânsito intestinal, reduzindo constipações, agressões e envenenamento das mucosas locais.

Somado a isso, há algumas décadas tem sido enfatizado o efeito protetor da fibra alimentar contra o câncer de cólon e reto. Este conceito foi sugerido por Burkitt33 em 1971, que relacionou a elevada ingestão de fibras com a baixa incidência desse tipo de câncer entre a população do leste da África. A World Cancer Research Fund1, após desenvolver metanálise, envolvendo 129 estudos e analisar outros 13 de caso-controle, considerou convincente a associação das fibras alimentares com a redução do risco de câncer de cólon e reto.

Em paralelo, os fitoestrógenos da soja podem interferir direta ou indiretamente na prevenção do câncer, uma vez que participam em diversas etapas do metabolismo, atuando como antioxidantes ou na redução da proliferação de células cancerígenas.

O Câncer de pele e a Soja

Uma pesquisa realizada na Universidade Berkeley, EUA, cujo estudo foi publicado no periódico Cancer Research (15/outubro/2001), mostra que a incidência de câncer de pele em camundongos diminui com a aplicação da lunasina, uma proteína da soja.

Há dois anos, os mesmos pesquisadores descobriram que a injeção do gene da lunasina em células cancerosas em cultura, interrompia a divisão celular.

Em trabalho mais recente, testaram a possibilidade da proteína prevenir células normais de se tornarem cancerosas tanto em cultura como em camundongos.

A lunasina poderia ser encarada como um agente NK (natural killer) que ao identificar uma célula normal se transformando, a ataca e destrói.

(*) Receita Kinako - Farinha integral de Soja

Ingrediente: 1 kg de grão de soja escolhidos

Preparo: Deixe os grãos de molho em água por 8 horas ou toda a noite. Escorra, elimine a água e coloque os grãos em uma assadeira rasa média. Torre em forno baixo, pré-aquecido, por 30 minutos ou até obter grãos torrados. Mexa de vez em quando, com o auxílio de uma colher de pau, para que não queimem, até que as cascas dos grãos soltem com facilidade. Retire do forno e deixe esfriar. Moa os grãos no liqüidificador ou em máquina de moer carne.

Peneire a farinha obtida, utilizando uma peneira fina. Armazene esta farinha integral de soja em recipiente seco e com tampa. Mantenha na geladeira. Atenção: Por ser integral sua validade é de somente 30 dias.

Consumo ideal: 1 COLHER DE SOPA/DIA batida em sucos desintoxicantes, vitaminas, granolas, etc.

Texto extraído do livro Soja - Nutrição & Saúde - Conceição Trucom - Editora Alaúde.

Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural o bem-estar e qualidade de vida.

Reprodução permitida desde que citada a autoria e fonte: www.docelimao.com.br

Leia também:
A Soja na Saúde Humana I - Introdução
A Soja na Saúde Humana III - Menopausa & Síndromes do Feminino
A Soja na Saúde Humana IV - Diabetes - Hipoglicemia - Colesterol

Assista aos vídeos:
Momento Soja 1 - Saúde dos Ossos - TV Band
Momento Soja 2 - Soja x Memória - TV Band
Estudo em audio sobre a SOJA

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Siga-nos no Facebook

Clique aqui para conferir todos os eventos.

Comentários e perguntas

 Caro leitor,

Ficou com alguma dúvida sobre este artigo? A área de comentários e perguntas é exclusiva para assinantes Doce Limão. Por apenas R$ 20 mensais, você terá acesso a todo conteúdo exclusivo, como palestras, cursos online e muito mais, além de poder enviar perguntas, que serão respondidas pela Conceição Trucom e equipe.

 

Saiba mais e assine